La Casa de Papel | Série Netflix: o assalto à casa da moeda

La Casa de Papel - Série Netflix
La Casa de Papel - 2017 (Netflix/Divulgação)

La Casa de Papel é uma série da TV espanhola cujo piloto foi ao ar em maio de 2017. Na produção original, La Casa de Papel foi exibida como uma minissérie com 15 capítulos. Entretanto, ao comprar os direitos de distribuição, a Netflix alterou o formato para o de série com 2 partes.

A primeira com 13 episódios e a segunda parte com 9, o que também alterou o tempo de duração deles. Em média, cada episódio tem de 40 a 50 minutos.

A Netflix anunciou, em Outubro passado, o lançamento da terceira temporada com estréia prevista para 2019.

La Casa de Papel foi criada por Álex Pina, para a rede televisiva espanhola Antena 3.  A produção é da Vancouver Media, que, apesar do nome, é uma produtora espanhola pertencente ao próprio Álex Pina.

O idioma usado é o espanhol. Contudo, três outras línguas são utilizadas no roteiro: Inglês, Russo e Sérvio.

La Casa de Papel é uma série aclamada internacionalmente, tendo recebido o Emmy de Melhor Série Dramática de 2018.

Em seguida, a música tema de La Casa de Papel merece um destaque especial. Cecilia Krull, cantora espanhola é a intérprete de My Life is Going On. Essa música tornou-se um hit, após introdução na série.

O enredo e os atores

La Casa de Papel conta a história de um grupo de ladrões que assaltam a Casa Da Moeda da Espanha. O mentor intelectual do golpe e líder do grupo é conhecido inicialmente apenas por Professor, interpretado pelo ator Álvaro Morte.  Ele é um homem muito inteligente, porém muito enigmático e ninguém sabe exatamente quais são suas motivações para praticar o roubo.

Inicialmente, ele seleciona um grupo de criminosos e os reúne em uma casa, nos arredores de Madri, para serem treinados. Os bandidos permanecem isolados neste refúgio por cinco meses.

Uma das determinações do Professor para o grupo é que eles não revelem suas identidades entre si. Desse modo, pede que eles escolham um apelido pelo qual serão chamados durante toda a empreitada. Assim, eles optam por pseudônimos de cidades.

A história é narrada por Tóquio, uma das participantes do grupo, recrutada pelo Professor, quando fugia da polícia, após praticar um roubo.  Este personagem é vivido pela atriz Úrsula Corberó.

Amor bandido

Em função do longo período que ficam juntos anteriormente ao assalto, eles acabam desenvolvendo relações afetivas entre si. Uma delas é a de Tóquio e Rio, formando um casal à moda Bonnie e Clyde. Miguel Hérran interpreta Rio.

Além de Tóquio, só existe outra mulher no grupo – Nairóbi, interpretada por Alba Flores.

Cada membro do grupo recebe uma função específica. A líder do grupo em campo coube a Berlim. Homem frio e estranho que acaba angariando o respeito de todos por saber lidar com crises.

Pedro Alonso interpreta o personagem de Berlim, principal co-protagonista da trama.

Além desses, quatro outros integrantes compõem o grupo.

O ator Roberto Garcia interpreta Oslo e, no papel de seu irmão, Helsinque está o ator Darko Peric. No papel de Moscou está o ator Paco Tous e, finalmente, Denver que é interpretado por Jaime Lorente.

Assim, depois do treinamento, eles invadem a Casa da Moeda da Espanha e fazem muitos reféns. Dentre eles, estão funcionários da Casa da Moeda e muitos visitantes como, por exemplo, alunos de uma escola de Madri.

Com a invasão, entram na trama, policiais, serviços de inteligência, imprensa, enfim, todo o circo para cobrir os onze dias de assalto.

Um personagem vital para o desfecho da trama é a Inspetora de Polícia, Raquel Murillo, vivida por Itziar Ituño.

Análise de La Casa de Papel

La Casa de Papel foi e ainda é um sucesso de público e crítica. O tema é relativamente comum – um assalto a uma fortaleza financeira. Supostamente um lugar inexpugnável. Já foram feitos filmes de roubos a bancos. Até mesmo a Fort Knox, sendo o mais icônico deles, talvez, 007 contra Goldfinger, em 1964. Entretanto, o enredo era tão absurdo quanto o eram as maravilhosas peripécias de James Bond.

Mesmo o estilo Oceans Eleven e sequências com todo aquele glamour e casting estelar não conseguiu ser tão ousado no enredo quanto La Casa de Papel.

Isto porque nessa série, eles fizeram parecer que um roubo dessa magnitude seria perfeitamente possível. A ponto de o ex-prefeito de Ancara, pedir a suspensão da divulgação da série que ele considerou apologia à rebeldia.

Este é um dos grandes méritos da série. Ela tem uma história sólida, foi muito bem roteirizada, bem dirigida, bem interpretada e usou os recursos técnicos com precisão.

A reação do público e da crítica é de total empatia pelos personagens, que são nada mais, nada menos que ladrões. Independentemente das subtramas e dos dramas que correm em paralelo com a trama principal, são ladrões os heróis da história. Criminosos comuns que despertaram a simpatia do público. Aliás, esse era o desejo do Professor, protagonista principal, angariar a simpatia da opinião pública para o grupo e sua missão. Isso deixou de ser somente ficção e alcançou o público real.

Alerta de Spoiler

É memorável a cena do penúltimo episódio em que o Professor e Berlim cantam “Bella Ciao, Bella Ciao, Bella Ciao, Ciao, Ciao”.

Brilhante a direção de arte que conseguiu, por meio dessa canção, transformar o assalto àquele lugar, em um ato de resistência à tirania do capitalismo. Essa canção ficou conhecida em toda a Europa como um grito de oposição à guerra. Sobretudo, contra Mussolini.

Na verdade, ela remonta ao século XIX, mas ficou universalmente conhecida a partir da Segunda Guerra. Com essa invocação, os personagens declaram que estão saindo para uma batalha contra o sistema e não somente praticar um assalto. Contudo, esse é o legítimo objetivo deles – roubar mais de 2 bilhões de euros. Todavia, alcançam a “mera” quantia de 984 milhões de euros.

No elenco estão atores renomados na Espanha e, embora alguns, ainda muito jovens, desempenharam excelentes interpretações. As duas temporadas de La Casa de Papel garantiram à série prêmios. Na Espanha, México e EUA, incluindo o Emmy de 2018, da TV americana. E, o reconhecimento mundial. É comum encontrar pessoas andando pelas ruas com camisetas divulgando La Casa de Papel.

Alejandro Bazzano, Jesús Colmenar, Álex Rodrigo, Javier Quintas e Miguel Ángel. Vivas são os responsáveis pela direção da série.

La Casa de Papel faz jus à sua popularidade e ovações que recebeu. Claro está que foi o resultado do trabalho de toda uma equipe de profissionais competentes e um extraordinário empenho na divulgação.

Terceira Temporada

Apesar de não ser o planejamento inicial, a Netflix anunciou a continuação da série com a terceira temporada. E, está prevista para lançamento em 2019. Grande parte do elenco original está confirmada. Entretanto, as cenas foram gravadas na Tailândia, ao contrário das duas temporadas anteriores que focaram em Madri, como locação principal.

E, o roteirista continua sendo Álex Pina.

O público e a crítica aguardam ansiosos por esta continuidade, esperando, evidentemente, que se mantenha esse padrão de qualidade.

Se assim for, La Casa de Papel tem tudo para permanecer o fenômeno dentre as séries televisivas da atualidade. Com o diferencial de uma produção feita fora dos Estados Unidos.

Confira La Casa de Papel, no Netflix. Uma excelente opção para quem adora o gênero de ação e suspense.